domingo, 21 de fevereiro de 2010

Ngola Ritmos - Porta-estandarte da cultura musical angolana

"Nos anos 40, quando começaram a soprar os ventos independentistas, a vontade de muitos jovens era afirmarem-se como angolanos, os colonialistas impunham a sua cultura em detrimento da nossa. Parecia mal falar kimbundu, quem o falasse era considerado atrasado, gentio, qualquer pessoa de 40 anos das zonas urbanas não sabe kimbundu, viveu a pressão das mães que diziam: Menino parece mal, tu já és uma pessoa civilizada etc. Os fundadores do N’gola Ritmos pensaram exactamente que era preciso fazer algo para manter a nossa identidade. O espaço à volta não permitia manifestações culturais da terra, daí fazer-se um conjunto musical. Nos anos 40 com o Liceu Vieiras Dias, o Nino Ndongo, eram os principais, tocava-se em casa deste ou daquele. Só em 1950 o conjunto cresceu."
"(Os Ngola Ritmos)
era uma rebelião pacífica, tentando despertar consciências adormecidas, que não acreditavam em mais nada, eram 500 anos de colonização. Não havia televisão, nem rádio para toda gente, os jornais não chegavam aos musseques nem ao interior do país e nós sabíamos que uma canção ficava presa no assobio, no cantar. Na LNA quando cantávamos em kimbundu, as pessoas viravam a cara meias envergonhadas, chamavam-nos os mussequeiros...acabamos por fazer canções de absoluta reivindicação, e incendiávamos aquelas pessoas fartas de ser espezinhadas, e eles entendiam que havia qualquer coisa na fogueira. Isso acabou por se descobrir, fomos perseguidos. O conjunto morre antes do tempo, aqueles que eram funcionários foram transferidos. Entra este, sai aquele, entra outro etc. Tudo culmina com a prisão porque alguns de nós estávamos directamente metidos na luta política, como eu e o Liceu, nenhum de nós sabia o quanto o outro estava metido, na altura nem com a mulher se podia falar. Foi esta fase que resultou na criação do MIA (Movimento Independentista de Angola)."

Excerto da entrevista de Milonga a Amadeu Amorim, um dos membros fundadores dos Ngola Ritmos, que pode ser na íntegra aqui

Esse kota e o "Liceu" Vieira Dias acabaram por ser presos pela PIDE. Música demolidora que arrombou os muros das mentalidades tacanhas cimentadas com o betão do preconceito e do complexo de superioridade.
Respeito!!!

Ngola Ritmos - Conjunto Ngola Ritmos

01.Nga Sakidila
02.Chico
03.Xikela
04.Nzagi
Catem o mambo aqui


Ngola Ritmos - Folclore de Angola (Ao vivo na RTP, 1965)

01.Xikela
02.Monami
03.Dya Ngo We
04.Nzagi
05.Manazinha
06.Muxima

Catem o mambo aqui


Ngola Ritmos - Ngola Ritmos EP Vol.1

01.Mbirim Mbirim
02.João Domingos
03.Chapéu Preto
04.Timpanas


Catem o mambo aqui


Ngola Ritmos - Ngola Ritmos EP Vol.2

01.Monami
02.Kuaba Kuaie Kalumba
03.Maria da Luz
04.Margarida vai à Fonte

Catem o mambo aqui


Ngola Ritmos - O Ritmo do Ngola Ritmos (Banda Sonora do Documentário Homónimo)

01.O'Muturi
02.Mbirim Mbirim
03.Makesu (c. Rui Mingas)
04.O Jaki Kajikopu
05.Muxima Wami
06.Kolonyal
07.Suzana (c. Belita Palma)
08.Moringa (c. Belita Palma)
09.Kalumba
10.Muxima
11.Phalame
12.Kangrima
13.Tukar'yetu


Catem o mambo aqui


13 comentários:

kanuthya disse...

Comento aqui mas podia ser em qualquer um dos posts: 'ndapandula pela partilha :)
Lendo essa entrevista ao Amorim, lembro da pena que é o kimbundu estar tão ausente de bocas e ouvidos, não o escutei de todo (a não ser raras palavras soltas) a última vez que estive na banda, ao contrário de outras línguas, como o umbundu e kikongo, que se encontram de boa saúde, kandengues no Huambo falam umbundu :)

kandandus daqui

ikono disse...

sem makas mo dikota...sempre a considerar. aquele abraço

Bast [LF] disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bast [LF] disse...

olá! gostaria de elogiar o post que fizeste.. eu cheguei aqui depois de ver o documentário acerca de Liceu Vieira. Fiquei maravilhada com o ritmo e musicalidade das canções.
Eu gostaria de ouvir mais, mas os teus links estão offline... tens possibilidade de disponibilizar novamente? Eu agradeceria.

Jo

Luiz Loureiro disse...

olá! sou um grande admirador da cultura angola. moro no brasil e não tenho muitas fontes, estive feliz qndo vi esses eps dos Ngola Ritmos, mas infelizmente os arquivos não estão disponíveis. será que poderia disponibiliza-los novamente?

parabéns pelo serviço prestado a cultura! boa sorte, até

ikono disse...

So hoje vi os vossos comentarios. Infelizmente o blogger não tem um bom serviço de "alerta de novas mensagens" então fica complicado estar a verificar cada post. As vezes mais vale comentar no último post para chamar atenção a estes mais antigos. Quando tiver os discos disponíveis de novo enviar-vos-ei mensagens privadas. Desculpem a demora

Stephs disse...

lamento não estarem disponíveis os downloads, peço encarecidamente para que me avise também quando estiverem disponíveis novamente. gostaria muito de baixar os discos. obrigada!

Anônimo disse...

Can you please re-up, the links are down. Been looking for Ngola's music and haven't been able to track down much of it. thanks,
adam

ikono disse...

HERE IT IS. PICK IT UP WHILE IS STILL WORKING:

http://musicauhuru.blogspot.pt/2012/05/ngola-ritmos-re-up.html

Caio Faiad disse...

Conheci o grupo por conta da disicplina que curso de Literatura Angola. Pena que os links não estão mais funcionando. Mas vou continuar procurando.
Abraços

Caio Faiad disse...

Obrigado por terem respostados os álbuns!!
Abraços

bunboni disse...

Eu sou um jornalista de música do Japão.
Dois dos acima, Ngola Ritmos - Folclore de Angola (ao vivo na RTP, 1965)
e Ngola Ritmos - Por favor, diga-me o método de compra de O Ritmo do Ngola Ritmos.

Sonitron disse...

Hi! Could you please re-upload the EPs from Ngola Ritmos? Zshare is down and this are the links I could find! Would be very very nice from you :)

Thanks a lot!!!!